Translate this Page

ONLINE
11


PASTOR NORBERTO

NO FACEBOOK

CLIQUE:

 

 TOTAL DE

PAGEVIEWS

-   

11.295.863

      -

 

 TOTAL DE

VISITANTES

 


CRESCENDO EM DEUS

CRESCENDO NO CONHECIMENTO

 DE DEUS 

INTRODUÇÃO

 A ordem de Deus para o cristão é crescer: II Pe 3:18.

Para se ter uma vida intensa com Deus, desfrutando de Sua presença e da Sua plenitude em nós, é preciso uma vida devocional ativa e comprometida com Ele.

Na verdade, para uma vida devocional abençoada, precisamos implantar em nossa vida diária três fatores:   

                    

TRABALHO  

Com certeza não conseguiremos nada sem trabalho.  A plenitude  de Deus em nós não virá num passe de mágica. “...Enchei-vos do Espírito Santo” é mandamento que exige de nós atividade - Efésios 5:18. Não estaremos cheios do Espírito Santo se não trabalharmos. Se não sairmos de nossa acomodação espiritual nada, nada mesmo acontecerá!!!

 

ESFORÇO  

Nossa luta é contra o diabo, a carne e o mundo. Precisamos com muito esforço vencer estas terríveis forças que se antepõe à nossa vida com Deus. Nossa luta não é contra carne nem sangue - Ef 6:12.

 

TEMPO

Precisamos com muita urgência separar um tempo do nosso dia a dia para Ele. Em geral temos tempo para tudo (trabalho, sono, alimentação, higiene pessoal, lazer, estudo), mas para Deus.....). Precisamos aproveitar melhor o nosso tempo - “Remindo o tempo..... - Ef 5:15-16.

 

Assim como a criança para chegar a um crescimento físico e mental satisfatório precisa de um acompanhamento especial (alimentação, atenção, carinho, escolaridade), assim também, para se chegar a uma vida espiritual madura precisamos de inúmeros cuidados - I Pe 2:2.

Da mesma forma que precisamos de alimento e água para manter nossa vida física (caso contrário ficaremos anêmicos e debilitados), assim também, para manter nossa vida espiritual precisamos nutrir nossa alma que tem fome e sede de Deus - Sl 42:1-2.

Uma vida devocional desequilibrada nos levará a sermos sempre crianças espirituais - veja o exemplo dos crentes da igreja de Corinto - I Corintios 3:1-2.

No entanto, uma vida devocional ativa trará para o nosso dia a dia grandes resultados:

= Rios de água viva fruirão de nós: João 7:37-38.

= Teremos uma vida abundante: João 10:10.

= Liberdade: João 8:36.

= Relacionamento de Pai para Filho e vice-versa: II Corintios 6:17-18.

= Vitória sobre o pecado: I João 3:6.

= Vitória sobre o mundo: João 17:14.

= Vitória sobre a carne: Romanos 8:9.

= Vitória sobre o diabo: Tiago 4:7.

= Poder para testemunhar: Atos 1:8.

Analisemos agora alguns exercícios devocionais que podem nos fortalecer e fazer-nos maduros espiritualmente.

 

O ESTUDO DA PALAVRA

 A Bíblia é a palavra de Deus - II Pe 1:21.

A Palavra foi inspirada pelo próprio Deus - II Tm 3:16a.

Isto quer dizer que quando eu estudo a Palavra, estou sabendo, conhecendo e ouvindo a voz de Deus. Deus está se revelando a mim.

Que coisa maravilhosa é esta? Eu tenho em minha língua um livro texto que  traz ao meu coração o querer de Deus, a voz de Deus para mim, mostrando-me a diferença entre o certo e o errado, fornecendo alimento para o meu espírito - MT 4:4, gerando conhecimento, fé e esperança ao meu coração.           

O estudo da Palavra promove comunhão com Deus e com os homens, produz conforto em meio às lágrimas, repreende e corrige - II Tm 3:16b. O estudo da Palavra serve como ponto de apoio às situações adversas da vida e me ajuda nas tomadas de decisão.

O estudo da Palavra faz com que eu me torne mais sensível ao pecado - Sl 119:11.

Precisamos ingerir a Palavra, comer a Palavra. Ela é o alimento para nossa alma. A ingestão da Palavra se dá através da leitura cuidadosa e regular. A leitura de forma apenas superficial, ocasional, desordenada ou supersticiosa não trará beneficio à nossa vida.

Após ingerir a Palavra corretamente vamos passar pelo processo de digestão. 

Digestão significa a assimilação da Palavra no coração, este processo é movido pela ação do próprio Espírito em nós. Precisamos ter em mente que a Palavra não volta vazia, mas faz o que lhe apraz, e prosperará naquilo para que Ele a designou – Is. 55:10-11. A Palavra é viva e eficaz, mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração - Hb 4:12. Podemos dizer, que uma vez ingerida,  pela instrumentalidade do Espírito Santo a Palavra provocará em nosso interior uma verdadeira revolução, mexendo com nossos pensamentos e ações. 

METODOLOGIA PARA O ESTUDO DA PALAVRA

 1) LEIA: Tome conhecimento do texto, percorra com a vista o que está escrito.

2) MEDITE: Meditar é mais do que ler, meditar é pensar no que foi lido, é gastar algum tempo refletindo na mensagem do texto.

3) MEMORIZE: Memorizar é reter o que foi lido e meditado. É decorar as palavras do texto.

4) INCULQUE: Inculcar é enfiar bem dentro do coração a Palavra de Deus. É colocá-la nas entranhas do nosso ser. É possuí-la e ser possuído por ela.

5) LEMBRE-SE: Lembrar-se é fazer uso prático em todas as situações da vida diária, do que foi lido, meditado, memorizado e inculcado. É retirar o que foi armazenado e servir-se `a vontade.

 SUGESTÕES IMPORTANTES PARA O ESTUDO DA

PALAVRA

 1) Reserve um tempo apropriado para ler a Bíblia. Este tempo irá variar de pessoa para pessoa, mas, evite a leitura em horas impróprias.

2) Preocupe-se não com a quantidade do que você vai ler, mas com a qualidade da sua leitura.

3) Procure ler toda a Bíblia. Não é preciso ler na ordem dos livros - do Gênesis ao Apocalipse. Você poderá ler por grupos de livros - livros poéticos, cartas de Paulo, os evangelhos, os profetas menores etc....

4) Sublinhe o que você achar mais interessante. Faça pequenas notas às margens. Isto irá tornar suas meditações mais sérias e o ajudará a memorizar as lições aprendidas.

5) Estude a Palavra em atitude de dependência e humildade. Tenha consciência que você está travando contato com a voz do próprio Deus, o Senhor dos Senhores e o Rei dos Reis.

6) Peça o auxílio do Espírito Santo para entender a Palavra. Sua iluminação será vital para o entendimento da Palavra de Deus.

 

A ORAÇÃO

Orar é falar com Deus. Orar é abrir o coração na presença do próprio Deus, por meio da fé, através do sacrifício de Jesus Cristo.

Quando oramos estamos demonstrando que:

=> Não temos  recursos  por  nós  mesmos  para resolver nossos problemas. Somosextremamente limitados.

=> Deus pode todas as coisas. Ele é o Deus Todo-Poderoso.

A prática da oração traz ao nosso coração resultados extraordinários:

* Resultados psicológicos: Através da oração podemos superar a tensão do dia a dia, a ansiedade, a angústia, o sentimento de culpa e outros estados emocionais desagradáveis - leia Fp 4:6-7.

* Resultados espirituais: A oração nos força a fazer uma reflexão dos nossos pecados, confessá-los e deixá-los. Só poderemos chegar à presença do Senhor se estivermos com nossas mãos limpas. Veja como o Salmista percebe isto - Sl 66:18.

* Resultados de certeza e tranquilidade quanto a resposta: Precisamos ter em mente que Deus sempre responde nossas orações. Ele jamais nos ignora, ou esquece das nossas suplicas, é verdade que nem sempre Ele responde como eu peço, e, sim, de acordo com a Sua santa e sábia vontade, mas Ele sempre nos atende - Mt 7:7-11 - Tg 5:16.

Podemos aqui enumerar vários sins de Deus apresentados na Palavra:

====> Israel e seu clamor diante da servidão no Egito. O rei Ezequias e seu pedido de vida. Ana e seu pedido por um filho.

Mas, podemos também enumerar vários nãos de Deus:

====> Moisés orou pedindo para entrar na terra prometida, e o Senhor não permitiu. Davi orou pela vida de seu filho recém-nascido, e o Senhor levou a criança. Paulo orou por três vezes para ficar livre do espinho na carne, e o Senhor lhe disse não.

OS ELEMENTOS DA ORAÇÃO

Orar não é só pedir. Para muitos orar é só suplicar coisas a Deus. No entanto, observando a Palavra, podemos ver na oração seis elementos fortes que devem fazer parte de nossos momentos de oração. Vamos a eles:

# ADORAÇÃO: Na oração precisamos adorar ao Senhor. Ele é belo, perfeito, santo, eterno, misericordioso - Sl 136.

# AÇÕES DE GRAÇA: Na oração precisamos agradecer por tudo o que Ele tem feito por nós. Não podemos jamais esquecer de nem um só de seus benefícios - Sl 103:2.

# CONFISSÃO: Na oração precisamos contar para Deus sobre nossas fraquezas e misérias. Precisamos admitir diante dele toda nossa  culpa - Sl 51. O pecado encoberto é uma desgraça na nossa vida - Sl 32:3.

# EXTRAVASAMENTO:  Na oração precisamos derramar nossa alma perante o Senhor contando a Ele sobre os nossos medos e inseguranças. Só assim, estaremos descansados no Senhor - Mt 11:28-30.

# INTERCESSÃO: Na oração precisamos orar em favor daqueles que sofrem. Orar por aqueles que  são afligidos por problemas e necessidades. Precisamos orar uns pelos outros - Tg 5:16.

# SUPLICA: Precisamos apresentar nossas necessidades pessoais, familiares e comunitárias, costumeiras ou esporádicas que formam uma grande quantidade de pedidos e requerem uma intervenção amorosa e sábia de Deus - Fp 4:6 - Tg 5:16.

ORAÇÃO E AÇÃO

A oração não elimina a  ação, nem a ação elimina a oração.

Lutero, disse: “É preciso orar como se todo trabalho fosse inútil e trabalhar como se todo orar fosse em vão”. Outro disse:  “Devo orar como se tudo dependesse de Deus, trabalhar como se tudo dependesse de mim”.

 A FREQUÊNCIA DA ORAÇÃO

Quantas vezes devemos orar?  Qual a melhor hora para orar? A Bíblia tem a resposta certa para estas perguntas:

+ PERÍODOS DISCIPLINADOS DE ORAÇÃO: Em geral somos muito indisciplinados, porisso precisamos estabelecer um horário fixo para oração. Daniel se obrigava a orar três vezes ao dia - Dn 6:10. Davi orava em intervalos regulares (à tarde, pela manhã e ao meio dia) - Sl 55:17.

+ PERÍODOS ESPECIAIS DE ORAÇÃO: Os horários fixos de oração não nos isentam de períodos maiores de oração. Um dia inteiro de oração, uma noite de oração, uma semana de oração. Jesus tinha o hábito de passar uma noite inteira orando - Lc 6:12.

+ ORAÇÃO EM TODO O TEMPO: Paulo conclama a estarmos orando sem cessar - I Ts 5:17, isto significa 24 horas de oração, é estar constantemente em espirito de oração. É orar enquanto dirigimos o carro, enquanto a dona de casa lava a roupa ou passa a roupa, enquanto o jovem estuda. É orar na rua, em casa e no trabalho. É a oração contínua. Enquanto estamos orando sem cessar, não deixamos espaço para a atuação do inimigo - MT 26:41.

PRECISAMOS PEDIR PARA O SENHOR NOS ENSINAR A ORAR - Lc 11:1

 

 A IGREJA

Igreja é o ajuntamento de pessoas que se reúnem a fim de prestar culto a Deus.

A participação da igreja traz à nossa vida espiritual enormes benefícios. Vejamos alguns:

* Participando da igreja somos beneficiados pelo companheirismo cristão e pela solidariedade cristã, ajudando-nos uns aos outros.

* Participando da igreja somos beneficiados pelo aprendizado e crescimento na Palavra do Senhor.

* Participando da igreja somos beneficiados pela edificação e o conforto da pregação da Palavra, do louvor com hinos e cânticos espirituais e das orações.

* Participando da igreja temos a oportunidade de comunitáriamente louvar ao Senhor.

* Participando da igreja temos a oportunidade de colocar em prática nossos dons e talentos.

* Participando da igreja temos a oportunidade de contribuir para o avanço e propagação do evangelho (um visitante que eu levo para ouvir as Boas Novas, meu dizimo que contribui para a manutenção das frentes missionárias da igreja, etc...).

A própria Palavra nos adverte que não devemos deixar de congregar-nos com os irmãos - Hb 10:25.

Assim como a brasa acesa se apaga rapidamente ao ser afastada da fogueira, assim também aquele que deixa de freqüentar a igreja vai se apagando, vai se esfriando, vai se acomodando, vai perdendo as bênçãos, vai murchando em sua vida espiritual.

O apóstolo Tomé não estava presente naquele domingo de manhã em comunhão com os demais e perdeu a bênção de contemplar o Senhor ressurreto - Jo 20:24-29.

Muitas pessoas não frequentam a igreja devido a imperfeição de seus membros. Vale destacar aqui que todas as igrejas são imperfeitas, pois todas as igrejas são formadas de pessoas imperfeitas, pecadoras e falhas, porém,  precisamos ter em mente, que os que estão ali naquele ajuntamento estão em busca de santificação, de melhora, de cura para seus problemas. Assim, nesta participação não devemos jamais olhar para os líderes da igreja, ou para seus membros como nosso modelo e alvo, antes, nosso olhar deve estar firmado em Jesus, o Senhor da Igreja, e  olhando para Jesus devemos participar da Igreja e desfrutar de seus benefícios.

Que o nosso coração tenha a mesma paixão que tinha o Salmista pela casa do Senhor - Sl 84   - “Quão amáveis são os teus tabernáculos...”   -  “A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor...”   -  “Felizes os que habitam em tua casa...”

 

A MORDOMIA CRISTÃ

 A palavra mordomo tem um profundo significado para a vida cristã. Ser mordomo do Senhor é ser administrador das coisas que Ele coloca em nossas mãos. É cuidar e fazer desenvolver aquilo que Ele nos dá.

São inúmeros os textos bíblicos que mostram que Deus é o Senhor de tudo, de todas  as  coisas - Dt 10:14, Sl 24:1.   Nós    somos  apenas   administradores -  Mt 25:14-15, Lc 19:12-13. Teremos que prestar contas de tudo ao Senhor - Mt 25:19, Lc 19:15.

A MORDOMIA CRISTÃ E O TEMPO

É preciso que administremos bem os nossos afazeres diários para que haja tempo disponível para as coisas espirituais. Não podemos deixar que a correria dos dias presentes nos envolvam. O Apóstolo Paulo adverte sobre a necessidade de estarmos aproveitando o nosso tempo da melhor maneira possível - Ef 5:15-16.

A palavra chave para o bom aproveitamento do tempo é ORGANIZAÇÃO. Devemos organizar nossa vida diária de tal maneira que possamos dar o máximo do nosso tempo às coisas de Deus, coisas de valor eterno, e o mínimo indispensável às coisas materiais e de valor transitório.

Precisamos fazer de cada minuto disponível em nossa vida uma preciosa oportunidade para glorificar ao Senhor.

A MORDOMIA CRISTÃ E O DÍZIMO

Muitas pessoas dizem não ver relação entre a prática de se dar o dízimo e vida espiritual abençoada, mas podemos dizer, sem medo de errar, que o cristão dizimista é alguém de vida espiritual abundante.

Precisamos ter em mente que tudo o que recebemos pertence ao Senhor. Os 100%  que recebo são dádiva de Deus, Ele permite que eu administre 90%, e o restante (o Dízimo) deve ser devolvido a Ele, para o desenvolvimento da obra dEle.

É um enorme privilégio e motivo de alegria poder dar o dízimo.Primeiro porque o ensino sobre o dízimo é bíblico.

Segundo porque é o método que traz consigo as promessas de bênçãos do Senhor - Ml 3:10.

Terceiro porque assim estou participando no sustento da Igreja de Cristo e ajudando na realização da obra evangelística e missionária.

Quarto porque as evidências e fatos mostram que os dizimistas são realmente abençoados pelo Senhor.

A MORDOMIA CRISTÃ E O CORPO

Qual a relação que pode haver entre vida espiritual e meu corpo?

Não se esqueça que seu corpo é habitação do Espírito Santo - I Co 6:19-20. Este é um privilégio sem medida para o cristão, somos habitação do próprio Deus.

Sabendo que o nosso corpo é templo do Espírito Santo, devemos consevá-lo limpo e nas melhores condições possíveis de funcionamento. Porisso mesmo o cristão deve abominar os vícios e todo tipo de excessos que possam prejudicar o corpo, que é habitação de Deus.

A MORDOMIA CRISTÃ E OS TALENTOS

Todos nós temos talentos ou dons, que nos foram entregues pelo próprio Senhor para que realizemos algo para a expansão do Seu reino. Veja a parábola dos talentos, observe que o Senhor deixou a cada um dos seus servos uma quantidade de talentos para serem administrados, observe que todos os três receberam talentos - MT 25:14-30.

Deus não nos dá mais talentos do que nós podemos desenvolver. Ele não pede mais do que somos capazes de fazer. Só uma coisa Ele exige de nós, que desenvolvamos os nossos talentos. Não podemos covardemente enterrar os dons que recebemos dEle.

Lembremos sempre que prestaremos contas dos talentos que recebemos. Não se esqueça que não somos donos de coisa nenhuma, tudo pertence ao Senhor, portanto nada mais natural do que um acerto de contas entre nos os mordomos e o dono de todas as coisas. Na citada parábola dos talentos o Senhor voltou para cobrar o desenvolvimento dos talentos distribuídos entre os seus servos. O Senhor requer de nós, seus despenseiros, fidelidade - I Co 4:2. Que Ele nos encontre assim!

 

VIDA DE ALEGRIA

Alegria é uma ordem de Deus ao seu povo. Não ser alegre é um mau testemunho, é uma contra-evangelização, é uma falta de coerência. O mandamento da alegria está espalhado por toda Palavra: nos livros da lei - Dt 16:11, nos Salmos - Sl 32:11, nos profetas - Zc 9:9, nos evangelhos - Lc 10:20, nas Epístolas - Fp 4:4 e no Apocalipse - Ap 19:7.

A Bíblia mostra que a alegria do cristão não é uma alegria motivada por coisas,  acontecimentos ou fatos, nossa alegria não depende de circunstâncias. Na verdade nossa alegria está baseada na fé, na esperança que temos nEle, na confiança que Ele nos proporciona. Muitas vezes a alegria do cristão pode parecer aos olhos do mundo pura loucura, pois contraria toda e qualquer lógica humana, como no caso da maravilhosa oração de Habacuque - 3:17-18. O apóstolo Paulo enfatiza sobre a alegria estando preso num cárcere de dor, sofrimento e vergonha - Fp 4:4. Ele mesmo declara ter aprendido a viver contente em toda e qualquer situação - Fp 4:12-13.

Enquanto aí no mundo a alegria depende de se ter algo e não do ser, depende de receber e não de dar, entre os cristãos um dos segredos da alegria é a ordem inversa - At. 20:35

ALEGRIA X LOUVOR

A alegria propicia o louvor - Tg 5:13. É impossível separar a alegria do louvor - Miriã após a travessia do Mar Vermelho cheia de alegria louvou ao Senhor - Ex 15:20-21, Davi logo após a recuperação da arca do Senhor, com o coração inundado de alegria louvou intensamente ao Senhor - II Sm 6:14-15.

ALEGRIA X TRISTEZA

A Palavra afirma que há tempo para rir e tempo para chorar - Ecl 3:4. O próprio Jesus, fonte de toda alegria, teve momentos de tristeza. Ele chorou ao ver Maria, irmã de Lázaro em prantos por causa da morte do irmão - Jo 11:33-35. Chorou ao ver do alto do Monte das Oliveiras, a cidade de Jerusalém - Lc 19:40-41.

A tristeza tem que ser bem dosada. Tem que ser passageira. Tem que ser usada por Deus para provocar humildade, arrependimento e mudança de comportamento - II Co 7:10.

A tristeza tem que ser sucedida da alegria - Sl 30:5. Tem que ser vencida e subjugada pela alegria do Senhor.

FONTES DE ALEGRIA

==> Na verdade, a maior fonte de alegria para a vida do homem é a presença de Deus em sua vida diária - Sl 16:11. A alegria é fruto do Espírito Santo - Gl 5:22. É consequência inevitável de quem está em Cristo e anda no Espírito.

==> Outra fonte forte de alegria para o cristão é a segurança do perdão de Deus para sua vida e da Salvação em Jesus para sua alma - Mt 10:20.

==> As maravilhosas promessas de Deus ao seu povo são outra fonte tremenda de alegria - Sl 119:162.

 

 A HUMILDADE

Ser humilde não é negar nossa capacidade e virtudes pessoais, mas ter consciência que toda nossa capacitação vem dEle.

Ser humilde não é rejeitar premios ou coroas, mas transferir a honra a quem de direito, o Senhor nosso Deus.

Ser humilde não é a auto-desclassificação, não é a renúncia da inteligência, da sabedoria, da experiência, da força de vontade e do trabalho árduo, mas entender que todos os nossos recursos promanam de Deus.

Sem dúvida, a humildade é uma das virtudes mais difíceis a serem cultivadas na nossa vida devocional, possível apenas com o auxílio do próprio Deus e através da zelosa imitação da humildade daquele que veio para servir - JESUS CRISTO.

OS PERIGOS DA SOBERBA

A Palavra trata com muita severidade o pecado da soberba. Vamos citar alguns exemplos:

Davi, o homem segundo o coração de Deus, convicto do perigo da soberba orava assim: “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine...”- Sl 19:13.

Uma das frases mais pontiagudas sobre o perigo da soberba vem de Salomão que diz: “A soberba precede a ruína, e a altivez de espírito a queda”- Pv 16:18.

Tanto Tiago como Pedro ensinam com muita clareza sobre a soberba: “Deus resiste aos soberbos, contudo aos humildes concede a sua graça”- Tg 4:6 e I Pe 5:5.

HUMILDADE X EXALTAÇÃO

Se a soberba é uma destruição para a vida do homem, em contrapartida a verdadeira humildade redunda numa vida intensamente abençoada. Ela impede o desenvolvimento da auto-suficiência e leva o crente a buscar constantemente a direção, o auxílio e a bênção de Deus, daí o raciocínio de Paulo: “Quando estou fraco, então é que sou forte”- II Co 12:10.

Precisamos proclamar não a nossa suficiência, ou nossas virtudes, mas as grandezas do Senhor: Sl 94:17; Sl 124:1-5; II Co 3:5.

O mundo valoriza a soberba e não a humildade. Dá mais valor à roupa, ao nome, aos títulos, aos diplomas, aos anéis, ao dinheiro, `a pose, ao poder. O mundo não reconhece o valor da simplicidade e da modéstia cristã. Para nós, no entanto, vale o conselho da Palavra: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que Ele, em tempo oportuno, vos exalte”- I Pe 5:6.