Translate this Page

ONLINE
11


PASTOR NORBERTO

NO FACEBOOK

CLIQUE:

 

 TOTAL DE

PAGEVIEWS

-   

11.313.536

      -

 

 TOTAL DE

VISITANTES

 


NÃO AO RELIGIOSISMO

P E R I G O!!!

 

CUIDADO COM O

 

R E L I G I O S I S M O  

 

Ser membro de uma igreja e freqüentá-la sem dúvida é um bom exercício para o nosso crescimento e fortalecimento espiritual, e traz para o nosso viver bons resultados.

Vejamos alguns:

* Participando da igreja somos beneficiados pelo companheirismo cristão e pela solidariedade cristã, ajudando-nos uns aos outros.

* Participando da igreja somos beneficiados pelo aprendizado, edificação e o conforto da pregação da Palavra, do louvor com hinos e cânticos espirituais e das orações.

* Participando da igreja temos a oportunidade de colocar em prática nossos dons e talentos.

* Participando da igreja temos o privilégio de contribuir para o avanço e propagação do evangelho (um visitante que eu levo para ouvir as Boas Novas, meu dizimo que contribui para a manutenção das frentes missionárias da igreja, etc...).

A própria Palavra nos adverte que não devemos deixar de congregar-nos com os irmãos - Hb 10:25.

O grande problema é quando ser membro de uma igreja e participar dela se torna um hábito, uma rotina, um simples costume, e o Evangelho que deveria ser em nossa vida algo vivo, novo e transformador, se torna  tão somente um religiosismo insensível, vazio e morto.

Na verdade, são muitos os que  tem vivido assim, enganados e ludibriados por uma astuciosa falácia do inimigo.

Satanás inculca nas mentes e nos corações que eles estão salvos e que já não precisam de mais nada, afinal de contas  tem seus nomes no rol de membros da igreja, ocupam cargos, contribuem financeiramente, participam assiduamente das reuniões, cantam em grupos de louvor e em corais,  e conhecem as doutrinas.

Estas pessoas  batem forte no peito se afirmando  guardiães das tradições, recebem  titulos  que os  destacam  em suas denominações,  muitos deles se aprofundam no estudo e se tornam grandes conhecedores da história da igreja, da teologia, dos dogmas e dos catecismos,  crendo piamente que assim vivendo e praticando estarão seguros a qualquer tempo e em qualquer circunstância nesta vida e na eternidade.

O povo de Israel, à despeito de ser chamado povo de Deus, vivia debaixo deste religiosismo frio e formal. Eles participavam com frequencia dos ajuntamentos para prestar culto a Deus, oferereciam sacrifícios e professavam em alto e bom som seu amor ao Senhor, mas, o coração daquele povo estava totalmente divorciado de Deus, suas palavras eram falsas e vazias, sua hipocrisía era patente aos olhos daquele que tudo vê e conhece, daí o aviso do Senhor àquele povo: "Este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu" - Isaías 29.13

Recebi em meu escritório a visita de uma senhora cujo semblante era triste e abatido, seus ombros estavam curvados de tanta canseira.

Ela fazia parte de uma igreja desde a infância. Seus antepassados haviam sido muito religiosos, e toda a sua casa procurava guardar também esta tradição religiosa.

Esta senhora sempre estava presente às reuniões e programações da sua igreja, era contribuinte fiel,  conhecia todos os cânticos entoados nas celebrações litúrgicas e gostava muito de ouvir as mensagens que eram trazidas pelos dirigentes da sua igreja. Esta mulher poderia ser qualificada como uma ótima religiosa, mas, no seu íntimo, ela não sabia o que era alegria, paz e segurança. Vivia triste, não tinha sono, nem apetite, vegetava, motivos para viver assim, ela não tinha.

Seu marido gozava de saúde perfeita. Eles desfrutavam uma harmoniosa vida conjugal,  estavam prestes a completar cinqüenta anos de casados. Tinham ótima situação financeira. Seus filhos, noras, genros e netos estavam todos bem. Mas, ela não tinha paz nem sossego. Depois de alguns minutos de conversa, lágrimas corriam pelo rosto daquela sofrida mulher, quanta tristeza e que vazio havia naquele pobre coração.

Enquanto ela desabafava sobre as suas frustrações, medos e inseguranças, em minha mente passava o quadro que se repete por todo o mundo, com pessoas que vivem o mesmo dilema que esta senhora. Gente que vive dependurada em uma religião, orgulhando-se ao máximo de ter uma tradição religiosa herdada de seus bisavós, avós e pais. Tais pessoas acreditam que encontraram uma porta segura e garantida para a salvação da alma, mas, paradoxalmente lá dentro do coração existe uma tristeza sem medida, um vazio que nada nem ninguém consegue preencher.

No evangelho de João, no capítulo três, encontramos o relato do encontro de Jesus com um homem super‑religioso chamado Nicodemos.

Nicodemos era um dos setenta principais líderes em Israel, um homem que se assentava nos primeiros lugares das sinagogas judaicas. Nicodemos, com certeza, tinha um tremendo orgulho das suas tradições religiosas. Um homem que vivia para a religião e acreditava que a religião lhe garantiria segurança, felicidade e paz ao coração.

Mas, a verdade não era essa. A despeito de estar na sinagoga todos os dias, e ser um grande mestre em Israel, Nicodemos sentia uma enorme necessidade em sua alma.

Certa noite, tomado pela curiosidade de conhecer aquele nazareno, e ao mesmo tempo, procurando uma saída para sua vida, resolveu ir até Jesus e, envolto pela escuridão, na calada da noite, se encontrou com o Mestre.

Ao vê‑lo, e conhecendo o vazio do coração daquele homem, Jesus lhe dirigiu a palavra dizendo: "Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" ‑ João 3:3

E, diante daquela palavra, Nicodemos ficou totalmente confuso, ele não conseguia entender o significado de:  "Nascer de novo". E ele pergunta:  "Como pode um homem nascer, sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?" ‑ João 3:4

Pobre Nicodemos,  apesar de ser tão religioso, mestre em Israel, ao ouvir a declaração de Jesus ficou tomado de dúvida e perplexo, a religião não podia lhe auxiliar, ele era um cego, estava em total escuridão, um homem que não compreendia nada das coisas espirituais.

Ao ver a ignorância daquele homem, Jesus lhe esclareceu dizendo que ele não precisava nascer da carne novamente, o que ele necessitava realmente era passar por uma experiência viva e real com Deus: "Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo".

Quantos se encontram assim como Nicodemos, em total ignorância das coisas espirituais, mas acreditando firmemente, que escondidos na placa de suas igrejas, estarão seguros contra tudo o que possa vir sobre eles.

A todos os que vivem tão somente envolvidos com a religião, apegados à placa da sua igreja, praticando e realizando coisas em nome da religião, o Senhor adverte: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” – Mateus 7:22-23.

Anos atrás, me aproximei de uma cama de hospital, onde uma mulher se encontrava gravemente enferma, às portas da morte.

Eu não a conhecia, estava ao seu lado a pedido de uma das enfermeiras daquele hospital. O estado físico daquela senhora era sofrível, mas, mesmo assim, conseguimos trocar algumas palavras, e nesta rápida conversa, muito fraca e quase sem forças, ela me confidenciou: "Fui religiosa a minha vida toda, e agora que estou morrendo, não sei para onde vou".

Ao ouvir tais palavras o meu coração estremeceu!!!

Num instante, fiquei a pensar nos anos e anos que aquela mulher freqüentou a igreja, nas cerimônias a que compareceu, nas leituras bíblicas que acompanhou, nas mensagens que ouviu, nos cânticos que cantou. Talvez ela se orgulhasse muito em ser uma religiosa tão dedicada e aplicada, mas a sua religião, a placa de sua igreja, os rituais que durante toda a vida assistiu, não podiam ajudá‑la agora, justamente nesta hora, a hora mais crucial da vida, quando se aproximava o momento do seu encontro com o Justo Juiz, a sua religião não podia lhe dar cobertura, prestar nenhum socorro, nem lhe dar qualquer espécie de assistência.

Que pena! Que triste e desesperadora situação!

A igreja de Laodicéia estava repleta destes super religiosos que acreditavam  estar muito bem com Deus. Eles possuiam riquezas e fartura, tinham tanto que achavam não precisar de mais nada, porém, o Senhor Jesus referindo-se a eles afirma que eram miseráveis, pobres, cegos e nus, e os aconselha a se enriquecerem com o ouro refinado pelo fogo do Senhor, se vestirem com vestes brancas purificadas  pelo precioso sangue do Cordeiro, e aplicarem em seus olhos o colírio de Deus para que pudesem  ter uma nova visão  das verdades do Reino de Deus.

O Senhor ainda os adverte para abrirem a porta do coração para que Ele pudesse entrar e cear com eles, ou seja, Jesus Cristo queria estabelecer com eles algo que lhes era  completamente desconhecido, um relacionamento profundamente vivo, maravilhoso, revolucionário e transformador. 

Veja como o Senhor Jesus Cristo os adverte: "Pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo" - Apocalipse 3:17-20

 Querido(a) leitor(a), Jesus Cristo quer também hoje entrar em sua vida e fazer parte da sua existência de forma completa, real e transformadora, deixe o religiosismo agora mesmo, abra o seu coração incondicionalmente a Ele. 

O Senhor amorosamente bate à porta do seu coração, permita que Ele entre e celebre com você uma linda e gloriosa ceia.

 Ele promete libertação completa deste religiosismo que aprisiona sua existência: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Se o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” - João 8:32,36

 Ele promete dar-lhe vida e vida em abundância:“Eu vim para que tenham vida, e vida em abundância” - João 10:10

Ele promete a Sua paz:“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” - João 14:27

Não se engane, religião nenhuma poderá lhe conceder a salvação. Só Jesus Cristo é o caminho que nos leva ao Pai. Suas palavras são claras, objetivas e esclarecedoras: “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim” – João 14:6.

Não se iluda, religião nenhuma poderá saciar a sede da sua alma, só o Senhor Jesus Cristo tem água viva para lhe dar, e esta água será em você uma fonte a jorrar para a vida eterna: "Aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna" - João 4.14

Que maravilha é o Senhor Jesus Cristo!!

Então, saia agora deste religiosismo funebre e mortal e abra o seu coração para o Senhor da vida e da esperança, creia nEle, confie nEle e sua vida será transformada para sempre.

O que você está esperando? Vá a Jesus Cristo e encontre o rumo certo para o descanso, a renovação e a salvação da sua alma!!!