Translate this Page

ONLINE
7


PASTOR NORBERTO

NO FACEBOOK

CLIQUE:

 

 TOTAL DE

PAGEVIEWS

-   

11.295.863

      -

 

 TOTAL DE

VISITANTES

 


UM PORCO QUASE DE ESTIMAÇÃO

UM PORCO QUASE DE ESTIMAÇÃO

 

Certo fazendeiro decidiu que iria adotar um porquinho como seu animal de estimação. Afinal, por que apenas os cães e os gatos são considerados como tais?!   

Assim, certo dia aquele homem foi até o local onde os porcos eram criados e escolheu com muito cuidado e carinho um lindo porquinho e o levou para casa.

Chegando, deu-lhe um banho demorado com bastante xampu, lustrou-lhe as unhas, perfumou-o com bom extrato estrangeiro e lhe adornou o pescoço com um laço de fita. Pensou em um nome para o seu porco de estimação e resolveu batizá-lo de Wilber.

Na sala, Wilber foi colocado sobre uma fina almofada de cetim. O porquinho estava indiscutivelmente simpático e até se comportando como um autêntico animal de estimação. Os visitantes ficaram impressionados com a transformação do suíno, um animal tão pouco afeito à boa aparência e sobretudo aos preceitos de higiene.

Tudo parecia ir muito bem, até que alguém, certo dia, abrindo a porta da frente da casa, saiu e se esqueceu de fechá-la. Wilber saltou da almofada e deixando a sala saiu numa desabalada carreira, indo jogar-se em cheio numa poça de lama, ao lado da horta da fazenda, e ali se elameou por completo.

Seu dono ficou arrasado com o retrocesso do bicho. E a pergunta era: Por que Wilber havia se comportado daquela maneira?

Porque na verdade, apesar do banho, dos adornos e de todos os recursos usados em favor da boa aparência do animal, no fundo ele continuava sendo tão somente um porco. Sua natureza, seus interesses e preferências não mudaram. Apenas o lado externo foi transformado, mas interiormente ele se mantinha o mesmo suíno.

Coisa semelhante acontece com o ser humano. Podemos lançar mão de uma pessoa, vesti-la bem, cobri-la de jóias e todos os demais acessórios que tão bem complementam a boa apresentação; fazê-la assentar-se no lugar mais visível e mais confortável de uma igreja; oferecer-lhe uma luxuosa Bíblia e achar que assim ela terá alcançado uma mudança radical de vida, uma verdadeira transformação.

Bem, pode até ser que por algum tempo essa pessoa consiga impressionar a família, os amigos e os líderes religiosos. Entretanto, na primeira oportunidade que lhe for oferecida, direta ou indiretamente, de voltar ao seu ambiente no seio do mundo, havemos de ver brotar de imediato sua velha natureza com todos os instintos carnais que ela sempre serviu.

Mas, por que razão esta pessoa agiu assim?

Porque, na realidade, o seu interior, o coração com todos os desejos e interesses carnais e mesquinhos, não foi mudado. Não se operou naquela pessoa o que Cristo chamou de novo nascimento – “..se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” – João 3:3. Não houve nenhuma mudança de atitude; nenhuma transformação de sentimentos que a fizesse consciente da sua nova natureza.

Só Cristo pode mudar o interior do homem perdido, só Ele pode arrancar o coração de pedra que está dentro do peito do homem  e colocar um novo coração, uma nova natureza.

Você, que lê este artigo, já experimentou o novo nascimento em Jesus Cristo?

Espero de todo meu coração que ainda hoje você abra sua vida para Cristo, e veja a mudança que Ele pode operar em seu ser!

"Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (2 Coríntios 5.17).